Brasil

Pedofilia não é arte, diz Marco Feliciano sobre exibição no MAM

Zoom
O deputado federal pastor Marco Feliciano (PSC/SP) foi uma das principais vozes no Congresso em oposição à mostra QueerMuseu em Porto Alegre, acusada de promover a pedofilia e o vilipêndio a símbolos religiosos.

Quando as fotos e vídeos mostrando que a performance do artista Wagner Schwartz durante a abertura do 35º Panorama de arte Brasileira, incluía a "interação" dele nu com crianças, as redes sociais foram tomadas de protestos.

A exposição, que acontece no Museu de Arte Moderna (MAM) de São Paulo, justifica que o evento era aberto a visitantes que estivessem no local e que havia sinalização sobre a nudez na sala onde a performance ocorria. Contudo, não houve nenhum tipo de restrição ao acesso de menores de idade.

Prontamente, Feliciano se manifestou sobre o caso. Ele gravou um vídeo onde se disse "indignado" e "enfurecido" com mostras que, sob a justificativa de exibir arte, fazem incitação à pedofilia. "Não erotizem nossas crianças e não as transformem em adultos pervertidos como vocês são", disparou, em um recado aos movimentos de esquerda que defendem esse tipo de coisa.

Fazendo uma ligação com o que aconteceu no QueerMuseu e no MAM, ele aponta para o "abuso" por parte dos museus que expõem as crianças a esse tipo de situação. "Não sou contra qualquer expressão artística, desde que respeite as leis e respeite as nossas crianças", enfatizou.

O parlamentar lembrou que é autor do Projeto de Lei 8615/2017, que obrigaria "as exibições e apresentações ao vivo a indicarem classificação indicativa adequada para crianças e adolescentes e proíbe a profanação de símbolos sagrados". Sua proposta ainda não tem data para ser votada, mas caso seja aprovada, modificará o artigo 74 da Lei nº 8.069, de 1990, mais conhecida como Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

No entendimento de Feliciano, o museu deve responder pela violação e o Ministério Público Estadual precisa instaurar um inquérito civil para apurar as responsabilidades.

Feliciano encerrou pedindo: "Deixe nossas crianças em paz, elas e nossas famílias merecem respeito".

Fuente: correiodobrasil.com.br
Fecha: 05.10.2017



Este artículo le podría interesar

Internacional
Junte-se a mais de 400'000 pessoas em 127 países todo o mundo que assinaram a petição para ser entregue nas Nações Unidas em dezembro de 2017.
Brasil
O deputado federal pastor Marco Feliciano (PSC/SP) foi uma das principais vozes no Congresso em oposição à mostra QueerMuseu em Porto Alegre, acusada...
Internacional
A Comunidade Internacional Brasil-Israel, entidade presidida pela pastora Jane Silva, levou um grupo de políticos brasileiros até Israel para um...
Descoberta
Arqueólogos israelenses encontraram nos arredores do Mar da Galileia (Lago Tiberiades ou Kinneret) os restos de Betsaida (Julias), o povoado onde, de...

Publicidad

    Publicidad